Autor: super-admin

Impotência Sexual: Causas e Tratamento

Impotência Sexual: Causas e Tratamento

Alguma vez você já teve dificuldade para ter ereção e pensou estar com Impotência Sexual?

Ou dificuldade para permanecer mais tempo com o seu pênis duro? Ou alguma vez você perdeu a ereção quando estava no meio sexo?

Se isto somente aconteceu uma vez, não fique preocupado. Mas se esta situação se repetiu por mais vezes ou se ela vem se repetindo, fique atento nas próximas linhas que falo com você.

Leia também:
Como não gozar rápido
Qual o tamanho do pênis que mais agrada as mulheres?
Próstata: O Guia Completo
O que é a Impotência Sexual?
A impotência sexual é caracterizada pela incapacidade ou dificuldade de obter e/ou manter ereção peniana o suficiente para penetração.

Pode acontecer em homens de qualquer idade e independe de serem solteiros ou casados e da orientação sexual, ou seja, não importa se você tem desejo e mantém relação sexual com outros homens ou mulheres.

Isso pode acontecer com qualquer homem em qualquer momento da vida.

Atualmente, utiliza-se muito o termo disfunção erétil para falar da impotência sexual, mas é a mesma coisa. Sempre que você ouvir disfunção erétil ou impotência sexual significa a mesma coisa tá?

Impotência Sexual em qualquer idade é totalmente tratável
Tem solução independente da sua idade. Não importa se você é mais jovem ou mais velho, para qualquer idade tem técnicas possíveis para deixar o pênis ereto.

Se você se queixa desta disfunção, talvez perceba que se sente com desejo de fazer sexo, percebe-se estimulado, mas o pênis não responde adequadamente.

A forma como a disfunção erétil (nome técnico para a Impotência Sexual) se apresenta também é variável, por exemplo:
Alguns homens não conseguem ereção desde o início da atividade sexual;
Alguns até conseguem a ereção, mas perdem imediatamente ao perceber a continuidade da relação sexual;
Outros perdem a ereção quando há tentativa de penetração;
Ou ainda, alguns que chegam a conseguir a penetração, mas perdem logo em seguida.
E os que têm ereção, mas a ereção não é totalmente rígida.
Se você percebe alguma ou algumas destas situações que coloquei acima acontecendo com você é provável que você apresente a chamada disfunção erétil.

Mas fique tranquilo, porque a disfunção erétil tem tratamento.

A seguir, você vai descobrir quais são as causas e quais são os tratamentos para a disfunção erétil.

Causas da Impotência Sexual
As causas da disfunção erétil são variadas e têm intensidades diferentes, além de agirem de modo distinto em cada homem. Elas podem ser:

Psicológicas
Ansiedade
Medo de falhar
Estresse
Esses 3 fatores, de todos, são os que mais causam dificuldades de ereção na grande maioria dos homens.

Depois vem também:

Dificuldade em lidar com frustrações
Depressão
Traumas infantis ou adolescentes associados à sexualidade e relacionamento afetivo.
Primeiras experiências sexuais desastrosas
Crises conjugais
Mitos sexuais
Perda do emprego
Baixa autoestima
Problemas relacionados a identidade de gênero
Orgânicas ou Físicas
Doenças degenerativas
Doenças cardiovasculares
Obesidade
Diabetes não controlados
Sedentarismo
Baixo nível de testosterona
Drogas e Medicamentos
Tabagismo
Alcoolismo
Drogas (maconha, cocaína, etc)
Medicamentos para depressão, diabetes ou hipertensão.

Tratamento para Impotência
Como falei para você, disfunção erétil tem tratamento, isso significa que tem solução. As melhores opções de tratamento são as que utilizam psicoterapia.

Sempre que esta situação lhe incomodar, busque tratamento.

Devido a disfunção erétil ter diversas causas é importante uma avaliação psicológica e também avaliação médica para descobrir a origem do problema.

Sendo identificada a causa, inicia-se o tratamento e o mais indicado é a Terapia Sexual, feita pelo Psicólogo(a) especialista em sexualidade.

Dentro da psicoterapia, utilizam-se técnicas específicas para a disfunção erétil, considerando as características de cada paciente.

Garanto a você, na maioria dos casos de disfunção erétil a causa é psicológica.

Para isto indico a psicoterapia que é um tratamento de fácil acesso, com resolução e satisfação em praticamente 100% dos casos.

Há tratamentos que envolvem uso de fármacos, cirurgias e até implantes de próteses, porém, em praticamente todos os casos a terapia sexual resolve antes de o paciente precisar optar por algo mais invasivo.

Leia também:
Solução da Disfunção Erétil: Consulta com Psicólogo Terapeuta Sexual

Leia também: Viagra Natural funciona

Viva com Prazer
A sexualidade está aí para ser vivenciada com prazer.

A saúde sexual também proporciona saúde física e emocional, ou seja, se você vivenciar bem o sexo, aproveitando como quer deste momento, você dá qualidade ao seu corpo físico e também qualidade às suas emoções.

Sexo bom faz bem ao seu organismo todo.

E quando o sexo está com problema, da mesma forma faz também mal ao organismo todo, gerando outros problemas e outras doenças em outros órgãos.

Se você tem uma disfunção erétil, ou qualquer outro problema que impeça de desfrutar da sua sexualidade, procure ajuda, procure orientação.

Disfunção erétil tem solução, e estamos aqui para lhe ajudar. Conheça aqui nossos especialistas e faça uma consulta online com sigilo total.

Dor nas articulações: muitas articulações

As dores que parecem vir das articulações podem, às vezes, vir de estruturas externas, como ligamentos, tendões ou músculos. Exemplos desses distúrbios são bursite e tendinite.

Regenemax Funciona

A verdadeira dor nas articulações (artralgia) não é necessariamente acompanhada de inflamação articular (artrite). O sintoma mais comum da inflamação das articulações é a dor. As articulações inflamadas também podem estar quentes e inchadas e, mais raramente, a pele que as cobre pode ficar vermelha. A artrite pode afetar apenas as articulações dos membros ou até mesmo as articulações da parte central do esqueleto, como a coluna vertebral ou a pelve. A dor só pode ocorrer quando a articulação é movida ou também pode estar presente em repouso. Outros sintomas também podem ocorrer, como erupção cutânea, febre, dor ocular ou úlceras na boca, dependendo da causa da dor nas articulações.

Cada desordem tende a afetar um número diferente de articulações. Como resultado, o médico leva em consideração as diferentes causas de dor quando isso afeta uma única articulação ( dor articular: articulação única ) em comparação com quando ela afeta várias articulações. Quando várias articulações estão envolvidas, alguns distúrbios são mais prováveis ​​do que outros para afetar a mesma articulação em ambos os lados do corpo (por exemplo, ambos os joelhos ou ambas as mãos). Isso é chamado de artrite simétrica. Também em alguns distúrbios, um ataque de artrite permanece nas mesmas articulações durante a duração do ataque. Em outros distúrbios, a artrite se move de uma articulação para outra (artrite migratória).

Resolva suas dores com Regenemax.

causas

Na maioria dos casos, a causa da dor que vem do interior de múltiplas articulações é a artrite. Distúrbios que causam artrite podem diferir em algumas tendências, como:

 

Quantas e quais articulações estão geralmente envolvidas

Se a parte central do esqueleto estiver envolvida, como a coluna vertebral ou a pelve

Se a artrite é súbita (aguda) ou duradoura (crônica)

L ‘ artrite aguda que afeta várias articulações é devido mais frequentemente para:

Infecção viral

O começo de uma patologia conjunta ou a intensificação de uma patologia de união crônica existente (como artrite reumatóide ou artrite psoriática)

As causas menos frequentes de artrite aguda em múltiplas articulações incluem a doença de Lyme (que também pode afectar um conjunto), gonorreia e infecções bacterianas artrite reactiva estreptocócica (arterite que se desenvolve após uma infecção do tracto digestivo ou trato urinário) e gota.

Artrite crônica que afeta múltiplas articulações é mais frequentemente devido a:

Distúrbios inflamatórios, como artrite reumatóide, artrite psoriática ou lúpus eritematoso sistêmico (em adultos)

Osteoartrite por doença não inflamatória (em adultos)

Artrite idiopática juvenil (em crianças)

Outras causas da artrite crónica em múltiplas articulações incluem desordens auto-imunes que afectam as articulações, por exemplo, lúpus eritematoso sistémico, artrite psoriática, espondilite anquilosante e vasculite.

Alguns distúrbios inflamatórios crônicos podem afetar as articulações da coluna e dos membros (as chamadas articulações periféricas). Alguns afetam certas partes da coluna com mais freqüência. Por exemplo, a espondilite anquilosante afeta mais comumente a região inferior (lombar) da coluna vertebral, enquanto a artrite reumatóide afeta a região superior (cervical) da coluna e do pescoço.

As doenças mais comuns nas articulações que causam dor ao redor das articulações são:fibromialgia

Polimialgia reumática

Bursite ou tendinite

A bursite ou tendinite geralmente resulta de um trauma, que geralmente afeta apenas uma articulação. No entanto, alguns distúrbios causam bursite ou tendinite em muitas articulações.

avaliação

Na avaliação da dor articular, o médico primeiro tenta determinar se a dor articular é causada por um distúrbio articular e uma doença grave de todo o organismo (sistêmica). Distúrbios generalizados graves podem exigir tratamento específico imediato. As informações a seguir podem ajudá-lo a decidir se deve consultar um médico e o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alarme

Em indivíduos que se queixam de dor em mais de uma articulação, os sintomas que exigem avaliação oportuna incluem:

 

Inchaço, calor e vermelhidão da articulação

Novas erupções cutâneas, manchas ou manchas roxas

Úlceras da boca ou do nariz ou dos órgãos genitais

Dor no peito, falta de ar ou tosse recente ou grave

Dor abdominal

Febre, suor ou arrepios

Dor ocular ou vermelhidão

O comprimento médio do pênis, de acordo com a ciência

Um grande estudo científico esclarece um problema masculino de longa data. Dar os números (à direita) de uma vez por todas.

“O meu será normal”? A resposta para uma das preocupações masculinas mais comuns vem do estudo mais preciso sobre as medidas do pênis já feito. De acordo com um artigo publicado no British Journal of Urology International , o tamanho médio do órgão genital masculino é de 9,16 cm “em repouso” e 13,12 cm em uma ereção.

 

Se você quer um produto que faça o seu membro crescer também, use Libiforce Man.

Além da fácil ironia, a pesquisa visa fornecer dados científicos precisos para apaziguar as inseguranças dos homens no campo, o que pode dar origem a sérios problemas psicológicos.

AVALIAÇÕES CLÍNICAS. Para esclarecer de uma vez por todas quais são os números, David Veale, psiquiatra do sul de Londres e do Maudsley NHS Foundation Trust, reviu com seus colegas 17 estudos científicos realizados em um total de 15.521 homens de todo o mundo, com medições feitas por médicos de acordo com procedimentos padronizados. Um dos problemas neste campo é que muitos estudos são baseados em autoavaliações – muitas vezes “generosas demais” – do seu tamanho.

ESTATÍSTICAS. Da vasta amostra emerge que o comprimento médio do pênis masculino é – como mencionado – de 9,16 cm de comprimento e 9,13 de circunferência, quando o órgão é flácido e 13,12 cm de comprimento, por 11,66. de circunferência, em ereção. As excepções à média são bastante raras: apenas 5 homens em 100 têm órgãos genitais com mais de 16 cm e apenas 5 em 100 têm um pénis inferior a 10 cm. O comprimento considerado varia desde o osso púbico até a ponta da glande, e exclui dobras cutâneas ou centímetros de gordura.

LUGARES COMUNS. O estudo também responde a alguns dos estereótipos mais comuns sobre medidas, altura e origem geográfica. Não foram encontradas correlações significativas entre as medidas do pênis e da etnia, também porque – enfatiza Veale – a maioria dos homens da amostra é de origem caucasiana. Dois estudos de 17 apontaram para uma correlação fraca entre o comprimento do pênis e o tamanho do calçado, mas todos os outros não, assim como não foram demonstradas ligações entre o tamanho genital, altura e índice de massa corporal.

A duração média da ereção, durante a penetração, é de cerca de 20 minutos. Se entendermos também as fases preliminares do relacionamento, isso levará cerca de 40 minutos. Estes valores referem-se a um homem entre 30 e 40 anos (os jovens são frequentemente mais “impetuosos”), saudáveis, sem problemas físicos ou psicológicos. Como em todos os fenômenos fisiológicos, a ereção é afetada por variações individuais e relacionadas ao contexto. Por exemplo, a emoção de um primeiro encontro amoroso pode mudar muito a situação.

QUANDO É MUITO LONGO … A duração do registro, por exemplo, no caso de atores pornográficos , sem a ajuda de produtos farmacológicos, é de duas horas, duas horas e meia no máximo. Após este período de tempo, entramos no priapismo, ou patologia.

O priapismo (que leva o nome do antigo sátiro Priapus, representado com um pênis enorme e anormal) produz uma ereção persistente desacompanhada de excitação ou desejo sexual, incômoda e dolorosa. As causas são várias (lesões na coluna, anemia, trauma e outras). Depois de três ou quatro horas, o médico deve ser consultado para evitar danos nos tecidos.

Problemas de ereção: 8 causas não óbvias

Um jantar romântico, um clima descontraído e a mulher dos seus sonhos – tudo isso não apenas sugere, mas diz diretamente que a noite deve terminar de uma certa maneira. Mas às vezes isso não acontece. E não porque ela não estava pronta para continuar. E porque você não poderia nem começar.

Disfunção erétil – um fenômeno mais comum do que pensávamos. Segundo as estatísticas, cada terceiro homem é confrontado com episódios semelhantes. De fato, sérios problemas com a ereção (incluindo a incapacidade de atingir o orgasmo ou manter uma ereção durante todo o intercurso sexual) não são tantos homens, e na esmagadora maioria isso se deve à idade. Assim, de acordo com estudos, cerca de 4% dos homens com mais de 50 anos e quase 50% dos homens com mais de 75 anos enfrentam disfunção erétil.

Se esse fenômeno não ocorrer tão raramente, esse é certamente um motivo para consultar um especialista. Os médicos dizem que a ajuda profissional é necessária quando os problemas de ereção começam a causar desconforto físico ou psicológico. No entanto, às vezes, os episódios são causados ​​por coisas que você nem imagina.

Neste material, coletamos as causas óbvias dos problemas de ereção que você precisa saber para entender exatamente o que está acontecendo com você.

Álcool

Os rumores são verdadeiros – um excesso de álcool pode causar problemas de ereção. De acordo com a Everyday Health, o álcool é um depressivo. Isto é, enfraquece a capacidade de pensar, falar e se mover de forma eficaz e, ao mesmo tempo, reduz o humor e o desejo sexual, afetando diretamente a função erétil. Estudos mostram que uma longa história de abuso de álcool pode levar à disfunção erétil de longo prazo (é o que causa 70% dos homens).

Preservativos

Estudos confirmaram que os preservativos podem impedir que alguns homens realizem uma ereção. Em particular, SexualHealth.com cita dados de um estudo de 2006, que mostrou que durante um período de três meses, aproximadamente 37% dos participantes do experimento experimentaram um episódio de disfunção erétil no processo de colocação de um preservativo ou durante o sexo com um preservativo. No entanto, o sexo desprotegido não é a melhor maneira de resolver um problema. Usar o preservativo de tamanho certo ou encontrar a marca certa provará ser uma tática de comportamento mais correta.

Doença gengival

O que é comum entre as gengivas e o pênis? À primeira vista, nada. Mas de acordo com um estudo publicado na revista Sexual Medicine, a inflamação periodontal crônica pode levar a um aumento do risco de disfunção erétil. O fato é que a doença da gengiva é um indicador negativo da saúde geral e está diretamente relacionada ao risco de doença cardíaca, outro fator de risco para problemas de ereção.

Fumar

Fumar tem um impacto negativo em quase todos os indicadores de saúde, incluindo a saúde sexual. Como uma ereção é causada por um aumento no fluxo sanguíneo para o membro masculino, uma diminuição no fluxo sanguíneo pode levar a problemas de ereção, relata Healthline. Um estudo de 2005 descobriu que fumar é a principal causa de problemas de ereção em homens jovens. Felizmente, é reversível: em 2011, um estudo sobre disfunção erétil entre fumantes mostrou que desistir de um mau hábito levou a um aumento da eficiência sexual em 75% dos casos.

Estresse

A função do pênis é mais dependente do cérebro, então muito estresse pode interferir na capacidade do homem de obter e manter uma ereção. De acordo com a Healthline, mesmo que um homem realmente queira fazer sexo, o estresse severo tornará isso impossível. Isso também deve ser atribuído, e todos os tipos de distúrbios emocionais. A falta de apego a um parceiro ou suspeita de adultério pode dificultar uma ereção, relata o The Huffington Post. Mas uma conversa franca sobre relacionamentos pode resolver um problema.

Ciclismo

Um artigo publicado em 2005 no Journal of Sexual Medicine diz que cerca de 4% dos ciclistas do sexo masculino que passam pelo menos 3 horas na sela experimentam disfunção erétil de moderada a grave. Enquanto apenas 1% dos corredores enfrentam o mesmo problema. Por que isso está acontecendo? Quando você se senta no assento da bicicleta, transfere o peso corporal para os nervos e artérias que levam o sangue ao pênis. Assim, ao longo do tempo, os vasos sanguíneos podem ser danificados, o que levará a uma diminuição do fluxo sanguíneo para o pênis e ao risco de desenvolver disfunção erétil.

Saiba mais sobre o estimulante chamando UltraG.

Deprimido

Segundo a Cleveland Clinic Foundation, 61% dos homens com depressão grave têm problemas sexuais. Os especialistas observam que a depressão tem um componente bioquímico, a saber, os produtos químicos ajudam as células cerebrais a se comunicar, inclusive para estimular o fluxo sanguíneo para o pênis. Por sua vez, a incapacidade de se envolver e desfrutar do sexo pode exacerbar os sintomas da depressão – mas o círculo vicioso não termina aí. O fato é que os antidepressivos (isto é, inibidores seletivos da recaptação da serotonina) afetam diretamente a libido, reduzindo o desejo sexual e a atividade sexual.

Ciúme

É bem conhecido que fatores psicológicos podem desempenhar um papel importante na vida sexual. Mas os novos dados sobre o tema: se seu parceiro passa muito tempo com seus amigos do sexo masculino, isso pode levar a problemas de ereção. O American Journal of Sociology cita dados de um estudo que envolveu mais de 3.000 homens com idades entre 57 e 85 anos. O estudo descobriu que os homens cujo parceiro está muito perto de conversar com amigos do sexo masculino, 92% mais vezes têm dificuldade em obter ou manter uma ereção. Os cientistas sugerem que isso pode ser devido à percepção social da masculinidade.

Top 10 dietas para emagrecer rápido

Top 10 dietas para emagrecer rápido

O verão está chegando e todo mundo quer ficar com o corpo em forma. Para emagrecer rápido e com saúde, separarmos as 10 melhores dietas do momento.

Entre elas está a famosa Dieta Dukan, que promete emagrecimento definitivo e sem efeito sanfona através de um regime à base de proteínas.

Leia também: Kifina

Outra fórmula de sucesso entre as celebridades é a Dieta sem Glúten, que propõem uma desintoxicação do organismo, mas que precisa de acompanhamento de um nutricionista ou médico.

Mas não separamos só as dietas da moda. Na nossa lista também aparece a clássica Dieta dos Pontos. E, como não podiam ficar de fora, os sucos desintoxicantes, que ajudam a limpar o organismo e secar até 3 kg de forma saudável.

Confira outras dicas como essas no Blog da Beleza.

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE OS DIFERENTES TIPOS DE COLÁGENO

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE OS DIFERENTES TIPOS DE COLÁGENO

O colágeno é sem dúvida um dos ingredientes mais buzziest no mundo do bem-estar agora. Alguns juram por seus benefícios de beleza : o poder de suavizar a pele, fortalecer as unhas e tornar o cabelo mais brilhante. Outros estão nisso para os benefícios de saúde intestinal. (A proteína suaviza o intestino de forma semelhante à suavização da pele, o que pode melhorar a digestão.) Até agora, é indiscutível que o colágeno é bom para você.Mas conseguir uma ajuda extra pode ser confuso. Você deve comprar colágeno marinho ou um derivado de osso e pele de animais? Qual é a diferença entre os tipos 1, 2 e 3 – algo que muitas marcas de suplementos divulgam na etiqueta? E WTF é colágeno hidrolisado?
Para ajudar a esclarecer as coisas, liguei para Nick Bitz, MD, um médico naturopata licenciado e certificado em colágeno e especialista em colágeno. (Divulgação completa, a marca de suplementos Youtheory chamou -o para ser seu diretor científico). O histórico do Dr. Bitz em medicina botânica e suplementos nutricionais fez dele o cara que eu precisava para responder a todas as confusas questões de colágeno. Aqui, ele explica os diferentes tipos e oferece seu melhor conselho para comprar colágeno que é realmente bom para você.

Leia também: o que é Colágeno tipo 3 e 1

Continue lendo para tudo que você precisa saber sobre os diferentes tipos de colágeno.
Escolher uma fonte de colágeno pode parecer um pouco como pedir um jantar em um casamento: Você quer frango ou peixe? No final, o debate entre animais e marinhos não importa tanto quanto você imagina. “Colágeno é colágeno é colágeno”, diz o Dr. Bitz. “É sempre a mesma proteína, independentemente da fonte. Neste momento, não há um que seja preferível para consumo humano. ”Em outras palavras, tomar um pouco de caldo de osso e comer bacalhau para o jantar, ambos vão entregar os benefícios. Eis o porquê: segundo o Dr. Bitz, o colágeno é uma proteína de hélice tripla, que na linguagem não-científica significa que consiste de três filamentos enrolados juntos para criar uma molécula forte. É uma proteína grande e complexa. Embora a proporção e a concentração de aminoácidos possam variar de fonte para fonte, estruturalmente, o colágeno é o mesmo vindo de uma vaca, galinha ou peixe.
O baixo para baixo no colágeno hidrolisado
Se você começou a procurar suplementos de colágeno, pode começar a ouvir marcas lançadas em torno do sofisticado descritor “hidrolisado”. “Isso significa que as enzimas frias foram adicionadas à proteína para quebrá-la”, diz o Dr. Bitz. Ele explica que os cientistas começaram a fazer isso porque tornou o suplemento mais fácil de absorver do que o colágeno ingerido através dos alimentos. (Novamente, o colágeno é uma grande proteína.)

“Colágeno hidrolisado realmente é apenas uma forma mais processada de colágeno”, diz o Dr. Bitz. Quanto mais quebrada a proteína, mais fácil é para o seu corpo digerir e usar. Então, se você quiser começar a usar colágeno medicinalmente, você pode querer considerar um suplemento.

Truques de marketing para estar atento no colágeno.
Enquanto o colágeno hidrolisado é um termo legítimo – e benéfico – para procurar em rótulos de suplementos, o Dr. Bitz diz que há outros que são mais usados ​​para enganar o consumidor do que qualquer outra coisa. “Você verá coisas como ‘Tipo 1 e 3’ ou ‘Tipo 2’ no rótulo, mas honestamente é apenas uma jogada de marketing”, diz ele. Sem sombra de dúvidas o melhor colágeno hidrolisado é o Renova31.

Leia também: o que é Colágeno tipo 3 e 1

Embora existam 28 tipos diferentes de colágeno – diferenciados por onde no corpo é originado e sua estrutura de aminoácidos – o Dr. Bitz explica que todos ainda são a mesma proteína. “Quando você ingerir colágeno, você está reconstruindo todo o seu próprio colágeno no corpo, não apenas o tipo 1 ou 3, mas todo tipo”, explica ele.

Quanto ao que procurar, seu melhor conselho é descobrir de onde vem o colágeno. Se é na China, os compradores devem ficar atentos: “O colágeno proveniente da China é realmente barato e não atende aos padrões de qualidade mais alta”, diz ele.

Atualmente, não há fonte de colágeno vegano – embora o Dr. Bitz diga que os cientistas estão pesquisando para encontrar uma planta que seja estruturalmente similar. (Uma pista surpreendente: folhas de tabaco .) “Uma coisa que todo mundo pode fazer é consumir chá verde”, diz ele. “É conhecido por ajudar a estimular a produção e impedir a sua quebra.” (Se você não é vegan, este pó de colágeno matcha pode ser o seu novo produto favorito.) Já existe colágeno em seu corpo fazendo um trabalho incrível. A chave é mantê-lo estimulado para que ele possa continuar fazendo seu trabalho.

Remédio Para Dormir – Conheça os Tratamentos Indicados

Remédio Para Dormir – Conheça os Tratamentos Indicados

Muitas pessoas têm dificuldade na hora de dormir, isso pode ser causado pelo não desligamento do trabalho, ansiedade, depressão, TOC e outras doenças que variam de leves até mais graves.

Em alguns casos são utilizados remédios para dormir, geralmente conhecidos por serem tranquilizantes, indutores do sono ou hipnóticos e devem ser consumidos de maneira moderada e com acompanhamento médico durante todo o tratamento indicado. Remédio para insônia

A maioria são adquiridos em farmácias, porém é necessário algumas vezes a receita médica, pois são tarja vermelha ou preta, têm muitos efeitos colaterais e se não tomados da maneira correta podem trazer muitos malefícios para o organismo. Os cinco principais indicados são:

Lexotan;
Xanax;
Valium;
Dalmadorm;
Tranxilene.
Devem ser consumidos somente com a prescrição médica, muitos desses medicamentos podem causar dependência, principalmente para pessoas que já tenham histórico de envolvimento com problemas de drogas e álcool em excesso.

Geralmente eles não têm a indicação exata para tratar a dificuldade para dormir, mas sim para a causadora dessa dificuldade, que pode ser várias doenças, mas geralmente são associadas à:

Ansiedade;
Síndrome do Pânico;
Pessoas com traumas recentes;
TOC;
Tensão e agitação em excesso.
COMO FUNCIONAM
Geralmente atuam direto no sistema nervoso central, diretamente no efeito do neurotransmissor natural. O ácido gama aminobutírico inibe reações químicas que atenuam a ansiedade e doenças relacionadas.

Os remédios para dormir podem atuar em diferentes áreas, podendo ser:

Sedativos;
Hipnóticos;
Ansiolíticos;
Relaxante Muscular;
Anticonvulsivante.
O médico irá primeiro diagnosticar a causa dessa dificuldade em dormir e depois irá medicar o paciente de acordo com o causador principal. É importante que não aconteça a ingestão dos medicamentos sem a receita médica, geralmente essas fórmulas são fortes e têm muita propensão de causar dependência no paciente.

RECOMENDAÇÕES
Os medicamentos são indicados para pessoas que tenham dificuldade em dormir, sintam-se cansadas no outro dia e com dificuldades para concentrar-se no trabalho ou estudos. Ao iniciar o tratamento com esses medicamentos indicados pelo médico é preciso tomar alguns cuidados e seguir algumas recomendações para que o organismo continue a trabalhar corretamente:

Não tomar mais do que a dose indicada, isso pode prejudicar drasticamente a saúde;
Não ingerir bebidas alcoólicas;
Fazer exercícios físicos regularmente, isso pode ajudar a regular o ciclo natural do sono;
Não misturar medicamentos: caso precise fazer o uso de outro remédio, consulte o médico de confiança antes;
Não interromper o tratamento.
É sempre importante também ficar atento aos sinais de dependência do remédio, caso sinta algo diferente do esperado, consulte o seu médico o mais rápido possível.

EFEITOS COLATERAIS
Como a maioria dos medicamentos, os remédios para dormir também trazem alguns efeitos colaterais para o corpo, alguns deles comuns para quem faz o uso dentro da quantidade permitida, outros já são exclusivamente para quem está dependente.

Para quem toma corretamente os efeitos colaterais comuns são:

Risco de quedas e dificuldade na coordenação motora;
Desatenção;
Sentir que ainda está com sono no outro dia;
Memória enfraquecida.
Em casos de dependência química o paciente irá sentir:

Dificuldade na vida sexual;
Riscos de parada cardiorrespiratória;
Dificuldades de convivência.
Por isso é tão importante ficar atento a qualquer sinal muito diferente do esperado, caso isso aconteça, consulte um médico de confiança.

QUAL MÉDICO PODE RECEITAR?
Caso, o paciente sinta necessidade de tomar medicamentos para conseguir adormecer é preciso procurar um médico neurologista, psiquiatra ou até mesmo um clínico geral.

O paciente vai precisar passar por alguns diagnósticos e exames antes de ter efetivamente a receita médica em mãos, o remédio só será indicado de acordo com a principal causa dessa falta de sono.

REMÉDIOS CASEIROS
Se você não quer recorrer aos métodos mais drásticos que são os remédios para dormir, saiba que existem muitas fórmulas naturais que você pode recorrer. Além de serem naturais, são bem mais baratas do que os remédios citados anteriormente, leia mais abaixo.

FLOR DE MARACUJÁ
Um remédio natural para o sono, a flor de maracujá e a sua fruta são sempre muito recomendados para quem precisa se acalmar e dormir. Não possui efeitos colaterais mesmo quando usado em grande quantidade.

Você pode consumi-la em forma de chá, essências, óleos aromáticos ou por meio de fórmulas homeopáticas.

MELATONINA
Um hormônio produzido por nosso corpo, a melatonina é essencial na regulação do sono. Ela pode ser consumida de maneira sintética, é dietética e também antioxidante. Pode ser encontrada em forma de cápsulas em lojas de produtos naturais e em algumas farmácias.

CAMOMILA
Conhecida por atuar eficientemente para quem tem dificuldades em dormir, pode ser consumida em forma de chá, extrato e também em pomada! É encontrada em mercados e lojas de produtos naturais.

CANELA E MEL
Essa mistura quando praticada regularmente é muito eficiente para quem tem dificuldades em dormir. Esmague a canela e misture-a com o mel (1 colher de chá), coma essa mistura antes de ir para a cama.

FLORES DE JASMIM
O aconselhado é colocar as flores de jasmim ao lado da cama, sua fragrância mantém os nervos sob controle e auxiliam em um sono mais tranquilo e sensação de calma. Também pode ser consumida por meio de chá.

Colágeno Hidrolisado ajuda Perder Peso? Quais são os Benefícios? Para que serve?

Colágeno Hidrolisado ajuda Perder Peso? Quais são os Benefícios? Para que serve?

Muitas pessoas que buscam alternativas no campo da saúde já se depararam com o colágeno hidrolisado, e é natural que surjam dúvidas sobre o que é e se realmente funciona.

Ele pode ser um reforço para a saúde e também se utilizado para fins estéticos. O grande sucesso do colágeno hidrolisado não é sem motivos.

Muitos produtos encontrados no mercado possuem esta substância. Mas quais são os verdadeiros benefícios do melhor colágeno hidrolisado.

É sobre isto que trataremos neste artigo. Tudo o que é necessário saber sobre colágeno hidrolisado, suas funções e até onde se pode comprar por um ótimo preço.

O que é Colágeno Hidrolisado

O colágeno hidrolisado é produzido a partir do colágeno encontrado nos ossos, na pele e no tecido conjuntivo de animais.

O processo de hidrólise é feito com este material. Ele consiste em quebrar as ligações moleculares entre colágenos individuais e peptídeos usando combinações de meio físicos, químicos ou biológicos.

Eles são geralmente colocados em uma pasta de lima por três meses, o que permite que estas ligações de colágeno se percam.

O colágeno depois é extraído em água fervente, e o substrato é passado por evaporadores, depois seco, e por fim pulverizado.

Pode-se então dizer que o colágeno hidrolisado é praticamente composto por minúsculas cadeias de aminoácidos.

A palavra “colágeno” deriva das palavras gregas “Kolla” (cola) e “Genno” (produção) e é na verdade uma generalização de 27 isoformas de proteínas encontradas no corpo.

Hoje em dia, este processo é bastante complexo e repleto de etapas. Mas o colágeno hidrolisado é consumido desde a Idade Média.

Existe um texto, escrito por S. Hildegard, que relata que comer “caldo de cartilagem bovina” (que devia ser basicamente um caldo de mocotó) tinha melhorado as condições de suas articulações, inclusive reduzindo a dor.

Por isso, graças a ser um alimento seguro e que possui uma vasta biodisponibilidade, ele é cada vez mais consumido.

A hidrólise a qual ele é submetido tão somente permite que este colágeno nativo, insolúvel e não digerível o transforme em um suplemento altamente solúvel e perfeitamente digerível pelo corpo humano.

Para que serve o Colágeno Hidrolisado

Basicamente, podemos dizer que o colágeno hidrolisado serve para repor quando esta proteína começa a se apresentar em menor concentração no corpo.

Quando se começa a perceber certos fatores, como:

Diminuição progressiva da espessura dos fios de cabelo;
Quando se observa que a pele perde a elasticidade natural, apresentando certo nível de flacidez;
Quando, no rosto, começa a surgir diversas rugas e marcas de expressão;
Quando a pele em geral começa a demonstrar sinais de desidratação e ocorre a presença de estrias;
Os ossos começa a perder a densidade, decorrente de problemas que vem com a idade;
E, ligado também a isso, um progressivo enfraquecimento dos ligamentos e das articulações.
É claro, não somente com o passar dos anos que estes problemas podem vir a ocorrer. Algumas doenças degenerativas também podem levar o indivíduo a ter estas características.

A colagenose abrange um grupo dessas doenças, que inclui: Lupus; Esclerodermia; Síndrome de Sjögren e Dermatomiosite.

Leia também:
Colágeno: o que é, para que serve, benefícios, função, onde encontrar

REVIEW – Colágeno_Hidrolisado Growth Supplements

GH para Perda de Peso (benefícios e cuidados)

Whey Protein para Emagrecer: whey pode ser utilizado para esse objetivo?

Em suma, a falta de colágeno, com o tempo leva os músculos ficarem flácidos e, como vimos, os ligamentos acabam sendo fragilizados e perdendo força motora.

Esta perda de colágeno começa a ocorrer a partir dos 30 anos, quando o corpo começa a diminuir proem cerca de 1% de proteína ao ano. Dos 50 anos em diante a queda é bem maior.

A produção de colágeno nesta idade cai para cerca de 35%, por isso que o colágeno hidrolisado é uma boa solução para repor estes níveis.

Não há dúvidas que prevenir essa redução com o Colágeno_Hidrolisado da Growth Supplements é de grande valia para manter a saúde em dia.

Benefícios do Colágeno Hidrolisado

Os benefícios do colágeno hidrolisados são bem conhecidos dentro do meio científico.

Geralmente ele está relacionado à saúde da pele e voltado para fins estéticos. Mas ele também ajuda significativamente na reconstrução de tecidos.

Alguns dos benefícios mais comuns do colágeno hidrolisado são:

Ele pode prevenir o aparecimento de celulite;
Ele fortalece o cabelo e as unhas, deixando eles com um aspecto melhor e mais saudável;
Ele previne e diminui a ocorrência de estrias, marcas de expressão e rugas;
Ele melhora a tonalidade, a composição e a tonalidade da pele, deixando-a com ima aparência mais saudável;
Ele auxilia na reconstrução de juntas e artérias;
Ele age na reconstrução e preservação dos tecidos dos órgãos;
Ele auxilia na perda de peso, promovendo uma queima maior de gorduras, ao invés de proteínas;
Ele pode ajudar a combater problemas degenerativos ligados à idade, principalmente no que se refere à articulações e ossos, como osteoporose;
Favorece um maior potencial na absorção dos aminoácidos;
Pode atuar na redução de dor, principalmente no quadril e no joelho, e uma maior proteção da cartilagem;
Previne o surgimento de úlceras gástricas;
Também ajuda a combater a pressão sanguínea alta e problemas autoimunes.
Pode-se ressaltar também que ele é uma ótima forma de consumir proteínas. Ainda existem estudos incipientes que sugerem que ele pode auxiliar na recuperação do controle da bexiga.

Constata-se que o potencial terapêutico do colágeno hidrolisado é alto e ele não possui contraindicações diretas.

As únicas contraindicações são com relação aos produtos no quais ele é encontrado, que podem ter altos níveis de açúcar, por exemplo.

Colágeno tipo 3 e 1

São geralmente peptídeos de colágenos em pó, que podem ser enriquecidos com outras substâncias como:

Zinco;
Vitamina C;
Selênio.
Ele traz os benefícios que apontamos acima. Lembrando que ele é absorvido facilmente pelo organismo.

Não custa lembrar que, mesmo sendo um produto natural, não quer dizer que não seja necessário procurar um médico para tomar com segurança.

Por isso a orientação médica é sempre recomendada. A automedicação nunca é uma boa ideia.

Importante também ressaltar que o colágeno hidrolisado natural deve ser consumido com bastante água. Ele tem a função principal de estimular a produção de colágeno do corpo

O colágeno hidrolisado natural é interessante, pois é uma forma mais orgânica de conseguir extrair o colágeno.

Diferença entre Colágeno e Colágeno Hidrolisado

Existem diferenças entre os tipos de colágenos que encontramos no mercado. É bom esclarecer para termos plena consciência do que estamos consumindo.

Podemos dividi-los em duas categorias:

Colágeno tipo 1, ou o colágeno hidrolisado;
Colágeno tipo 2.
O colágeno hidrolisado nós já discutimos até aqui. Falta esclarecer a sua diferença para o colágeno tipo 2.

Este colágeno, também conhecido como colágeno não desnaturado, é o principal componente encontrado nas cartilagens.

Para sua fabricação, ele passa por um processo não enzimático, de forma a não hidrolisar as moléculas, garantindo assim um composto mais íntegro.

Ele é indicado principalmente para os casos de:

Artrite reumatoide;
Osteoartrite de origem autoimune;
Degeneração das articulações.
O colágeno tipo 2 ajuda o corpo a repor o colágeno perdido, evitando que as cartilagens sejam destruídas pelo sistema imune.

Ele deve ser consumido em uma quantidade menor que o colágeno hidrolisado. Isto porque a hidrólise permite que o colágeno seja absorvido de uma forma melhor pelo organismo.

Como Tomar Colágeno Hidrolisado

O colágeno hidrolisado geralmente é encontrado em cápsulas em pó, e pode ser misturada com:

Leite;
Chá;
Suco de frutas.
Preferencialmente junto com as refeições. Sempre com a recomendação do seu médico ou nutricionista.

A quantidade recomendada é de cerca de 10 gramas por dia. A ingestão do colágeno junto com sucos que possuem vitamina C melhora bastante a eficiência. O tratamento pode ser feito em um período de 9 meses.

Se ele vier em forma de pó, recomenda-se diluir em algum suco ou mesmo em água, sempre na quantidade indicada.

Existem diversas dúvidas relativas ao consumo de colágeno hidrolisado, e por isso vamos responder as perguntas mais comuns que geralmente são feitas com relação a este produto.

Perguntas e Respostas

Colágeno Hidrolisado Engorda?
Não é correto afirmar que o colágeno hidrolisado engorda, pois ele não possui um número relevante de calorias.

Tampouco ele não provoca nenhum efeito como aumento de apetite e uma maior retenção de líquidos.

Por isso no caso de houver um ganho de peso ao consumir colágeno hidrolisado, deve-se procurar um médico para saber as verdadeiras causas disto.

O Colágeno Hidrolisado emagrece?
Segundo o site Nutrition Advisor, um tratamento à base de colágeno hidrolisado conseguiu proporcionar uma perda de peso em um grupo de estudo.

Isso porque o produto também está relacionado com o crescimento da massa magra, ou seja, o aumento de músculos no corpo.

E claro que quanto mais músculos a pessoa tiver, mais gordura será queimada do corpo.

Mas ainda, os estudos nesta área se demonstram inconclusivos. E mesmo se eles facilitarem o aumento da massa magra, isso só é possível através de uma prática regular de exercícios.

O que ele pode realmente auxiliar é no controle da saciedade. Como ele é basicamente composto de proteínas, o consumo de colágeno hidrolisado pode fazer que o corpo se sinta saciado.
Novamente, isto só pode ter um maior auxílio na perda de peso aliado a uma rotina fixa de exercícios.

Qual é o melhor Colágeno hidrolisado?
Como dito, ele pode ser encontrado em pó ou em cápsula. O melhor é aquele que você consegue com amis facilidade integrar na sua rotina.

E, claro, consumir produtos de empresas respeitáveis faz toda diferença. Na hora de escolher seu colágeno hidrolisado, priorize sempre a qualidade.

Onde comprar Colágeno Hidrolisado?
Para você comprar um Colágeno_Hidrolisado de altíssima qualidade, com um ótimo preço, recomendamos a Growth Supplements.

A Growth Suplements está vendendo um pote de colágeno hidrolisado de 150 gramas por um preço super justo, sendo que se comprar à vista você ganha 10% de desconto.

Lembrando que a Growth Supplements é uma das maiores lojas virtuais e referência na venda de suplementos do Brasil.

Com um nutricionista online para tirar todas as suas dúvidas e com frete grátis, a Growth Supplements traz o suplemento que você precisa, e o melhor Colágeno_Hidrolisado do mercado. Para conhecer o produto clique aqui!

Este post foi produzido para ser compartilhado, por isso sinta-se à vontade para fazê-lo, igualmente envie-nos sua opinião e perguntas sobre o tema.

 

Conheça também: Beauty Skin

IMPOTÊNCIA SEXUAL – CAUSAS E TRATAMENTO

IMPOTÊNCIA SEXUAL – CAUSAS E TRATAMENTO

A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é a incapacidade do homem em iniciar e/ou manter uma ereção do pênis suficiente para que haja relações sexuais.

Neste texto vamos explicar o que é a impotência sexual, abordando as suas causas, sintomas e as opções de tratamento.

DISFUNÇÃO ERÉTIL – Remédio para impotência
Os homens apresentam quatro grandes grupos de problemas sexuais:

Disfunção erétil.
Ejaculação precoce.
Falta de libido.
Dificuldades para ejacular.
A saúde sexual é atualmente um importante fator na qualidade de vida das pessoas. A impotência sexual apesar de não ser um problema de saúde que traga riscos à vida, pode trazer consequências indesejáveis à vida pessoal do paciente, influindo em relacionamentos e autoestima, podendo, inclusive, levar o paciente à depressão.

É importante notar que ter dificuldades eventuais na ereção não é considerado impotência. Para que seja considerada disfunção erétil o homem precisa ser incapaz de ter ou manter ereções em pelo menos 75% das tentativas. Não conseguir ter ereção satisfatória por vez ou outra é completamente normal e acontece com todos os homens, mesmo os mais jovens.

É importante diferenciar a impotência sexual da falta de libido. Na disfunção erétil, o homem sente desejo sexual mas é incapaz de manter ou iniciar uma ereção satisfatória. Na falta de libido, a ereção não ocorre por ausência de interesse sexual.

A prevalência da impotência sexual aumenta com a idade e com a presença de outras doenças, como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas, obesidades, etc. Estima-se que entre 30 a 40% dos homens acima dos 40 anos apresentam algum grau de disfunção erétil.

COMO SE DÁ A EREÇÃO DO PÊNIS?
A função sexual masculina é controlada pela interação dos sistemas neurológico, hormonal, vascular e psicológico. Qualquer distúrbio em um desses sistemas pode causar problemas de ereção. Saber como surge a ereção é importante para entender a impotência sexual e como funcionam os atuais tratamento, como o famoso Viagra.

Grosso modo, podemos resumir a ereção como um evento vascular, desencadeado por sinais neurológicos e facilitado por um adequado meio hormonal e psicológico. Vamos explicar.

A ereção do pênis ocorre quando o corpo cavernoso, duas estruturas esponjosas em forma de cilindros paralelos dentro do pênis, ficam cheios de sangue. O pênis enche-se de tal modo que comprime as suas veias impedindo que o sangue retorne para o resto do organismo. O corpo cavernoso fica, assim, cheio de sangue, mantendo a ereção até o final do estímulo sexual. Quando há um orgasmo ou quando o estímulo para a ereção acaba, o corpo cavernoso se esvazia, o pênis volta a ficar flácido.

Para que o corpo cavernoso encha-se de sangue é preciso um sinal do sistema nervoso central, liberando uma substância chamada óxido nítrico. Este neurotransmissor é quem relaxa os vasos sanguíneos do corpo cavernoso, facilitando a entrada de sangue no mesmo. Enquanto houver óxido nítrico no corpo cavernoso, o pênis se manterá cheio de sangue, e portanto, ereto; quando os níveis de óxido nítrico caem, a ereção termina.

Fatores psicológicos e hormonais, como alterações nos níveis de testosterona e dos hormônios da tireoide, por exemplo, podem interferir neste sistema neurológico-vascular da ereção.

A ereção noturna do pênis é um fenômeno normal que ocorre durante o sono profundo e não está relacionada a existência de sonhos eróticos. Este tipo de ereção inicia-se na adolescência e persiste por boa parte da vida. A presença de ereções noturnas normais em homens com disfunção erétil fala a favor de causas psicológicas para a mesma, enquanto homens que não apresentam ereções nem durante o sono, normalmente têm algum problema orgânico por trás. Homens com dificuldades em atingir estágios de sono profundo também podem não apresentar esse tipo de ereção.

FATORES DE RISCO E CAUSAS DA IMPOTÊNCIA SEXUAL
Apesar da idade ser popularmente conhecida como o principal fator de risco pra a disfunção erétil, na verdade, o envelhecimento em si não é tão culpado quanto as doenças que surgem com ele. Uma pessoa mais velha e completamente saudável sem medicamentos é plenamente capaz de conseguir ereções satisfatórias na maioria dos casos. Um homem saudável de 65 anos pode ter mais “potência” que um homem de 40 anos com histórico de diabetes e doenças cardiovasculares.

Entre as doenças e problemas mais relacionados à disfunção erétil estão:

Diabetes mellitus.
Hipertensão.
Obesidade.
Doença cardiovascular.
Dislipidemia.
Tabagismo.
Alcoolismo.
AVC.
Insuficiência renal crônica.
Doenças da tireoide.
Qualquer doença crônica pode aumentar os riscos da impotência sexual, e, para piorar o quadro, muitos dos medicamentos usados no tratamento destas doenças também colaboram para a disfunção erétil. Estima-se que até 1/4 dos casos de impotência sejam causados por essas drogas. Antidepressivos e medicamentos para hipertensão (todas as classes) são os principais vilões.

Existem ainda outras causas para a disfunção erétil, entre elas, traumas na região pélvica, quimioterapia, radioterapia na região pélvica, cirurgias para câncer de próstata, cirurgias na região pélvica e andar de bicicleta por demasiado tempo (ciclistas profissionais).

Grande parte dessas doenças causam distúrbios em um dos dois principais sistemas da ereção:

Impedem uma boa vascularização do pênis.
Atrapalham na produção e liberação do óxido nítrico.
IMPOTÊNCIA DE ORIGEM PSICOLÓGICA
Nem toda disfunção erétil está relacionada a alguma doença orgânica; fatores psicológicos também podem ser os responsáveis. Estresses do dia a dia podem causar perda de concentração e queda na libido, interferindo na performance masculina. Problemas profissionais, financeiros ou matrimoniais são as causas mais comuns.

Além dos estresses cotidianos, a ansiedade pelo ato sexual também é uma causa comum de impotência. A obrigação que a sociedade impõe ao homem de sempre ter que estar pronto para satisfazer a mulher, transformando uma falha em algo vergonhoso, acaba sendo muita pressão para algumas pessoas. A ansiedade em relação a performance acaba crescendo se o homem já experimentou dificuldades de ereção anteriormente. Em alguns casos a preocupação em ter e manter a ereção acaba se tornando o principal foco, fazendo com que o ato sexual em si torne-se secundário. Este nervosismo se transforma em uma bola de neve, causando novos episódios de impotência, que por sua vez, levam a mais ansiedade.

A depressão é outra causa de disfunção erétil. Assim como na ansiedade, esse processo pode se auto-alimentar. Muitos homens não aceitam que sua performance sexual irá diminuir com o passar dos anos, e, em alguns casos, episódios de incapacidade para manter a ereção podem levar a quadros depressivos.

Antes de seguir em frente, veja esse vídeo com dicas para o tratamento da disfunção erétil de origem psicológica.

TRATAMENTO DA IMPOTÊNCIA SEXUAL COM REMÉDIOS
Durante muitos anos tratamos a impotência sexual como uma consequência natural do envelhecimento, como se pessoas mais velhas não tivessem direito a uma vida sexual ativa. Até há alguns anos pessoas idosas não procuravam ajuda médica por causa de impotência, aceitando a disfunção erétil como algo incontornável.

Como já explicado, na maior parte dos casos de disfunção erétil, há uma causa orgânica por trás. Quando não há uma doença crônica conhecida, a dosagem sanguínea dos hormônios da tireoide, da testosterona e da prolactina são necessários para se determinar se há uma ambiente hormonal adequado para a ereção.

Um melhor controle das doenças crônicas, do ambiente hormonal e a suspensão, quando possível, de drogas que possam estar atrapalhando, são importantes no tratamento da disfunção erétil.

Inibidores da Fosfodiesterase Tipo 5

No final da década de 1990 houve uma revolução no tratamento da impotência sexual com o advento das drogas inibidoras da Fosfodiesterase Tipo 5 (inibidores da PDE5). As principais drogas desta classe são:

Sildenafil (Viagra®)
Vardenafil (Levitra®)
Herus Caps 
A fosfodiesterase Tipo 5 (PDE5) é uma substância que age eliminando o óxido nítrico da circulação sanguínea, fazendo com que diminua a quantidade de sangue no corpo cavernoso. Portanto, drogas que inibam a ação da PDE5, aumentam o tempo de permanência do óxido nítrico, consequentemente, facilitando a ereção.

Essas drogas não devem ser usadas sem avaliação médica, não só pelo riscos de efeitos adversos, mas também porque, sem uma completa avaliação, elas podem ser ineficazes. Se o paciente apresenta, por exemplo, deficiência de testosterona, somente o Viagra não irá resolver seu problema. Nos diabéticos, apenas 50% apresentam resposta aos comprimidos. Se o problema for de ordem vascular, nem sempre aumentar o óxido nítrico irá resultar.

1. Sildenafil (Viagra®) – Foi a primeira droga desta classe a ser lançada. Deve ser tomada 1 hora antes das relações e sua ação inicia-se após 30 minutos e dura em média 4 horas.

2. Vardenafil (Levitra®) – É uma droga semelhante ao sildenafil, com mais ou menos a mesma eficácia, tempo de ação e efeitos colaterais.

3- Tadalafil (Cialis®) – Apresenta como principal diferencial o fato da ação da droga iniciar-se com apenas 15 minutos, podendo durar por até 36 horas. Isto não significa que o paciente terá uma ereção que dure 36 horas, mas sim que dentro de um intervalo de 36h este terá mais facilidade em ter ereções quando houver estímulo sexual.

4. Avanafil (Spedra®) – Ainda não disponível no Brasil, mas sim na Europa e EUA, é o mais novo fármaco da classe e apresenta rápido efeito, podendo ser tomado 15 minutos antes da relação.

No final das contas, as quatro opções apresentam eficácia semelhantes, ficando a critério do paciente escolher aquela que ele mais se adapta, levando em conta o preço e a posologia.

Os inibidores da PDE5 podem causar queda da pressão arterial e nunca devem ser tomados por pacientes que fazem uso de nitratos. Pacientes com doenças cardíacas ou medicados com drogas para hiperplasia da próstata também devem ter cuidado com este medicamento. Para saber mais detalhes sobre o Viagra, Cialis e Levitra, leia: REMÉDIOS PARA IMPOTÊNCIA | Viagra, Cialis e Levitra

Os inibidores da PDE5 são atualmente a primeira escolha no tratamento da disfunção erétil e apresentam taxa de eficácia acima de 70%. Quando não há resposta ou quando o paciente não pode tomar essas drogas, existem outras opções para o tratamento da impotência; entre elas podemos citar a administração de drogas com injeção intra peniana ou intra uretral. Existem também alguns aparelhos que agem criando vácuo, favorecendo a circulação de sangue para o pênis.

A implantação de uma prótese peniana é atualmente um tratamento de 3ª linha, sendo indicado apenas quando os tratamentos descritos anteriormente não apresentam sucesso.

 

Leia mais: Maca Peruana !

Clareamento dental Whitemax

Clareamento dental Whitemax

Oi meninas e meninos! Hoje vim falar sobre esse Whitemax testei por 4 semanas!

O correto é consultar sempre um dentista viu gente! Mas eu sou maluquinha mesmo e amo testar os Whitemax da China e como vi vários vídeos no youtube com resultados positivos, resolvi testar também, rsss

O Whitemax de clareamento dental comprar Whitemax vem com 10 seringas com o produto, uma moldura para os dentes.

A moldura você que tem que “moldar”, colocando em água quente, depois coloca na sua boca para pegar o formato do seu dente, e depois coloca em água fria para “fixar”…

Eu não consegui usar a moldura pois me deu muita ânsia, então usei o produto direto nos dentes e deixei agindo durante 20 minutos apenas, mesmo assim é horrível, toda hora a gente fica babando, então tem que cuspir e colocar mais um pouco de produto…

Ah, o gosto do produto é como o gosto de produtos de dentista, inexplicável, mas bem ruim, rsss

O correto é fazer 1 vez por semana, eu vi algumas pessoas dizendo que fizeram todo dia, mas não recomendo jamais, pode corroer o esmalte dos dentes e trazer danos irreversíveis, se for fazer, faça com cautela sempre!

O produto deixou meus dentes sensíveis nos 2 primeiros dias, inclusive, tive pontadas algumas vezes no primeiro dia só, por isso torno a repetir, o ideal é consultar sempre um dentista…

Paguei muito baratinho no meu, apenas R$ 15,00 e demorou 1 mês pra chegar, o link do vendedor é esse aqui.

Fiz um vídeo onde falo um pouco mais e mostro o passo a passo de como faço além do resultado.

Leia também: CarboBlan funciona